segunda-feira, 30 de março de 2020

MEU QUERIDO AMIGO,


Realmente estou preocupado contigo e escrevo porque te considero demais, te quero bem.

Existe uma coisa que se chama Capital Moral e Capital de Autoridade.

Por anos vi você acumular esses dois ativos com sua postura, escolhas, formação, amizades, família, trabalho e MUITA honestidade e FÉ.

Mas, neste momento vejo que embarcou na milícia digital em defesa de um Presidente que prova dia após dia que Não Deveria Estar Ali.

Eu não concordei mas entendi sua escolha inicial, mas não entendo suas escolhas neste momento.

A confiança que as pessoas tem na sua imagem e no seu poder de entendimento das questões está neste momento comprometida.

Cada vez que você tenta defender o indefensável para justificar as falas e atitudes deste louco que colocamos no poder, você corrói um pouco da confiança que adquiriu por anos.

Não é questão de opinião, é questão de postura, e, neste momento, de vida ou morte.

Ninguém irá te julgar por se rever, mas, quando tudo isso acabar, aqueles que enterrarem seus entes queridos não vão esquecer jamais.

Te peço mesmo, que busque o discernimento e, ao menos desconfie do que está fazendo.

NÃO MANCHE SUA BIOGRAFIA.

Se não repensar agora, cairá em um triste ciclo de precisar se defender eternamente do que não tem defesa, pois admitir que errou é difícil, admitir que foi boçal é praticamente impossível.

Esta carta é aberta porque sou de muitos amigos e muitos, cada um a seu modo, repensaram a postura.

Mas outros precisam se um despertar.

E de coração, espero que despertem logo.

quarta-feira, 25 de março de 2020

IDEIAS PRÁTICAS DE GOVERNANÇA


IDEIAS PRÁTICAS PARA COMENTAR E COMPLEMENTAR

Em um momento de sacrifício, não é de nossa cultura admitir a morte de nossos irmãos.

Então vamos as soluções (idéias) práticas e aplicáveis:

* Padronizar um patamar de seguro desemprego para este momento em um valor que correspondesse a sobrevivência básica dos mais pobres, coisa de um ou meio salário.
* Suspender contas de consumo (energia e água) com o Estado assumindo este encargo.
* Flexibilizar as verbas rescisórias retirando multas e avisos prévios.

Isto garantiria no primeiro momento a estabilidade e salvaria o pequeno e micro empresário.

* Fechar e monitorar de forma incisiva a entrada de estrangeiros no país para evitar novas ondas de contaminação.
* Decretar o isolamento total nos primeiros 30 dias  com ajuda do exército.

Essas medidas ajudariam a paralização não se estender, os EUA por exemplo fechou suas fronteiras, por isso se sentem preparados para iniciar a retomada.

* Reforçar de maneira pesada o sistema de saúde (Aporte Financeiro de Várias Fontes)
* Tomar as medidas de mercado para proteger a economia.

Com essas medidas, junto e alinhado com ESTADOS E MUNICÍPIOS, como o Brasil foi afetado depois de outros países, provavelmente sairíamos da crise em menos tempo e retomaríamos nossas vidas de forma gradativa.

Isso é pensar de forma Governável.

VAMOS DEBATER E FAZER CHEGAR EM NOSSOS GOVERNANTES (congresso porque estamos sem executivo no momento)

terça-feira, 24 de março de 2020

ESTOU EVITANDO DAR OPINIÃO POLÍTICA NESTE MOMENTO TÃO DIFÍCIL DO MUNDO

Mas com esse pronunciamento de hoje, ficou claro que os donos do capital deram uma ordem dura para o presidente e ele seguiu à risca.
O país precisa estar na mesma direção mas o que vimos foi o anúncio de uma guerra do Governo Federal contra Estados e Municípios que estão empenhados em combater a crise do COVID-19.
No pensamento dele, o presidente e seus apoiadores, os idosos morrem e pronto, outras vidas que seguem.
Sim, ficou bem claro que o preço morte a ser pago é considerado pequeno, senão bem vindo.
Se todo mundo se contaminar, como não contaminar os idosos?
Uma gripinha para saudáveis e um genocídio para os doentes graves em hospitais?
Crianças com imunidade baixa?
Pessoas com doenças autoimunes (lupus, aids, cancer, cardíacos, inflamação intestinal) serão exterminadas e não serão contabilizadas como COVID-19.
Uma gripe imperceptível para limpar quem já está com pneumonia.
Uma gripinha para diminuir a população carcerária, dentre esses, aquele que seria inocentado em segundo grau mas não teve tempo de alcançar o julgamento.
Uma gripe à toa, tão banal quanto a vida daqueles que não geram emprego, que dão custo para a previdência, que geram estatísticas negativas de violência.
O Brasil só precisa de um chacoalho para se livrar destes incômodos e voar rumo à tudo que ele pode ser.
Vivi para ver o país da simpatia se mostrar sem nenhuma empatia.
Tristeza nunca teve fim.

quarta-feira, 12 de fevereiro de 2020

LIÇÕES IMPORTANTES DE UMA ARLEQUINA PARA O SEU NEGÓCIO



Você tem uma causa social, que bom, eu também.
Mas na boa... As vezes queremos tanto passar uma mensagem que esquecemos o produto principal de um trabalho.
O exemplo da vez é o filme Aves de Rapina e etc etc etc...
O filme é chaaaaaatooooooood+.
Tudo porque a mensagem feminista contaminou do roteiro à produção.
De início, todos sabemos que era um filme da Arlequina, mas para ser democrática e ter a idéia de "Estamos juntas numa mesma jornada feminina" resolveram chamar de Aves de Rapina e blá blá blá".
Deu ruim nas bilheterias e já é um fracasso financeiro histórico. Tanto que a Worner já muduo o nome do filme para o óbvio - Arlequina, Aves de Rapina, e só.
O filme perde ritmo, perde tempo de piadas, e as personagens são totalmente assexuadas.
Sim, se você ficou empolgadinho com toda a sexualidade e volúpia da Arlequina de Esquadrão Suicida (única coisa que prestava no filme) fique despreocupada(o) pois nesse filme ela está devidamente baranga para não explorar a sexualidade feminina.
É cheio de cenas que não levam a lugar nenhum. Uma tentativa bobinha de ser um deadpool..  SQN SQNunca...
Filme de sessão da tarde com sanguinho porporina (literalmente).
As Lutas são legais e a história é...nhé...
E a personagem caçadora tem o título de personagem mais sem graça da história.
Fica a lição, se o seu produto é a mensagem, venda a mensagem, se o seu produto é outra coisa, nesse caso diversão, deixe a mensagem para aquele projeto pessoal financiado com recurso próprios e que ficará marcado como um clássico que não gerou  e nem um tostão para ninguém mas trouxe aquela satisfação pessoal.
Misturar as duas coisas é sentir o gosto amargo dos prejuízos retumbantes nas duas áreas.

quarta-feira, 11 de dezembro de 2019

NÃO É HUMOR, É HORROR!

Porta dos Fundos perdeu a mão e a NetFlix também.

Não vi o tal filme do Porta dos Fundos e não verei.
Só acho que hipocrisia é um dia bradar pedindo respeito para Mulheres, LGBTs, Negros e etc... E em outro momento ferir de forma grosseira a fé alheia.

Não é possível alguém defender a liberdade religiosa e aceitar que se ofenda a fé de outros.
Se causa dor, se causa tristeza, não é humor, é violência, é Bulling, É ERRADO.

Nesse ritmo voltaremos a aceitar piadas racistas, sexistas, xenofobicas...

NÃO.

Não precisamos e rejeitamos esse tipo de humor.

É triste lembrar que humoristas do Porta, como o Duvivier, já criticaram outros humoristas de direita como o Gentilli exatamente por usar o humor para encobrir ideias preconceituosas.

No campo político, a coisa é ainda mais séria, pois esse tipo de atitude desastrosa, de gente rica e fascinada por sua militância gourmet e mimada, onde se pode tudo sem maiores consequências reais, acaba por alimentar o crescente fascismo e discurso de ódio.

Isto porque não é humor, é horror.
Tão explícito e escatológico e sem talento que causa repulsa.

Daí apontam para uma estupidez destas e justificam todo tipo de arbitrariedade em nome do medo que sentem deste horror.

Daí a repressão, a censura, a arbitrariedade...

A sociedade que deveria lutar contra o retrocesso, fica anestesiada e acaba aceitando uma idéia de ditadura para se livrar do nojo que a debilidade de certos artistxs resolveu chamar de arte.

Ninguém é mais útil para o atual governo do que um artistx ruim, débil e equivocado querendo chocar.

Mais coerência nas ações por favor.

#humornaopodetudo
#dispensamosesseapoio
#liberdadereligiosa
#respeito

PIRRALHA


segunda-feira, 2 de dezembro de 2019

FUNK SE A LEI?

Você não gosta de pancadões. Entendo, também não gosto. Não gosta do funk atual? Ok, também não gosto.
Mas, vejamos o que diz a lei: 
Art. 5º Todos são iguais perante a lei, sem distinção de qualquer natureza, (...) inviolabilidade do direito à vida, à liberdade, à igualdade, à segurança e à propriedade, nos termos seguintes:
IX - é livre a expressão da atividade intelectual, artística, científica e de comunicação, independentemente de censura ou licença;
XVI - todos podem reunir-se pacificamente, sem armas, em locais abertos ao público, independentemente de autorização, desde que não frustrem outra reunião anteriormente convocada para o mesmo local, sendo apenas exigido prévio aviso à autoridade competente;

Temos acima a Lei máxima, nossa Constituição Federal, ou seja, não cabe apresentar decreto ou lei Estadual alguma para alterar o que está acima descrito.
Assim, o Pancadão é autorizado por lei. E se vão muitas pessoas, é porque muitas pessoas gostam.
Se o gosto é ruim, e ao meu ver é mesmo, é discutível. As pessoas que lá estão poderiam estar fazendo outra coisa? Poderiam mas não estavam e paciência, ninguém é obrigado a fazer ou deixar de fazer o que os outros acham.
Agora certos comentários são realmente difíceis de entender:
“Nesses pancadões acontecem vários crimes…”
Então os vários crimes devem ser inibidos e combatidos e não o pancadão em si, já que pancadão não é crime.
“O que um menino de 14 anos estava fazendo lá a essa hora?”
Primeiro,  dormir tarde não parece motivo justo para a pena de morte. Também o que ele faz não é da conta de ninguém além dele e de seus pais.
Por fim, não me lembro de alguma lei que estabeleça toque de recolher para adolescentes.
E não dá para se comparar todos os adolescentes pelo perfil do seu filho que está em casa com a barriguinha cheia de chocolate.
Novamente, é preciso lembrar das diferenças.
Agora uma frase que mais me impressiona: “Nesses bailes ocorrem putaria e prostituição”
Sério? Você jura mesmo que as pessoas gostam de sexo na cidade com o maior número de puteiros por metro quadrado na América Latina? (Essa frase é uma expressão fática, nunca parei para contar).
Queridos senhores e senhoras puritanas, preciso contar a vocês que prostituição além de não ser crime (O crime é explorar a prostituição), envolve pagamento.
Acredito que nesses bailes as pessoas se esfregam por pura troca de fluídos e não de dinheiro.
E ao que tudo indica, nem todo mundo acha que sexo é pecado.
Então estamos diante de uma patrulha moral.
Quando pensamos em todos os argumentos para uma “Guerra ao Funk” vemos que realmente é uma questão de imposição de princípios.
O problema é que princípios não se impõem, se pregam.
Daí pergunto: Quanto do seu tempo você doa para ensinar música de qualidade (segundo seu gosto) em alguma comunidade que gosta de funk? Você é voluntário em algum projeto? Ou acha que a doação de brinquedo no final de ano é suficiente? Na “Ordem” que você frequenta as reuniões com afinco, estimula a doar tempo ou a coisa se resolve em coquetéis para arrecadar fundos?
Você prega sua salvação pela presença ou está assumindo o papel de carrasco de Deus, empunhando o tridente diabolico e gritando venha pela dor?
Talvez, se convivêssemos mais com nossos desafetos, aprenderíamos preciosas lições de tolerância.

Dr Helton Fesan, Advogado, escritor e MC pra sempre.