domingo, 17 de março de 2019

LULA LIVRE - UMA QUESTÃO DE ESTÉTICA



Pense em uma sala clean.
Sofá de couro branco, tela smarth minimalista, mesa de centro transparente, paredes brancas e… uma cabeça de alce no canto.
Que desgraça essa cabeça de alce está fazendo aí?
No dia 7 de Abril completará 1 ano da prisão do ex presidente Lula.
E o que vimos desde então de efetiva mudança no que diz respeito à corrupção no Brasil.
Nada.
Mais denúncias, evidências de um Judiciário comprado e corrupto, velhas raposas políticas no poder ou devidamente escondidas em suas tocas esperando a fumaça passar.
O paladino da justiça encarnado pelo juiz de Curitiba aceitou fazer parte de um governo de laranjais e milícias.
Caixa dois, antes a fonte de todo mal, agora é algo perdoável dada a relatividade da situação, basta reconhecer que errou e está pronto para ser Ministro.
Aécio, FHC, Sarneys, Calheiros, Alckmins, sequer são réus.
Preso com todo rigor e ódio, só mesmo o bom velhinho.
Nunca defendi a inocência do Lula, cabe ao devido processo legal avaliar tal questão, mas é inegável que ele deveria estar solto, não por inocência, mas por uma questão de estética.
Em um cenário tão absurdo quanto o Brasil, Lula não é a cabeça de alce na sala high tec.
Lula é a tv smarth no barracão pendurado no morro pedindo socorro na hora da enchente.
Se não conseguimos ser fortes, sejamos pelo menos humanos.
Já que não pretendem prender a todos, Lula livre, pela coerência do discurso.

Dr Helton Fesan.

sexta-feira, 15 de março de 2019

O SIMBOLISMO DOS OBJETOS


Um objeto, seja qual for, não é só um objeto.
Ele também é um símbolo e em torno dele há toda uma cultura.
Nós, humanos, primeiro idealizamos a ferramenta e depois a criamos. Primeiro percebemos uma necessidade e desenvolvemos as ferramentas para solucioná-la.
A ferramenta que criamos torna-se um símbolo da necessidade que solucionamos.
Essa necessidade, por sua vez, está inserida em uma cultura, em um universo de comportamentos.
Desta forma um cortador de gramas está ligado ao meio urbano enquanto um rastelo liga-se a um meio rural.
Psique e simbolismo são indissociáveis. O símbolo representa alguma coisa além do seu significado manifesto e imediato e é algo dinâmico e vivo.
O que chamamos símbolo é um termo, um nome ou mesmo uma imagem que nos pode ser familiar na vida diária, embora possua conotações especiais além do seu significado evidente, convencional e/ou óbvio.
Assim, cada objeto carrega em si um significado, um símbolo que pode ser partilhados, ou seja, o símbolo tem o mesmo significado para diversas culturas.
Uma lâmina foi concedida como ferramenta e, após a cultura do seu uso a proporcionou ser também uma arma a ponto de existirem facas com o único propósito de ser uma arma, uma espada.
Um machado é concebido para cortar árvores, a cultura do uso pode levá-lo à ser usado como arma.
Já uma arma, é concebida como uma arma e ponto. É símbolo universal de morte.
Não serve para comer, para cortar árvores, pegar água, varrer o chão... Uma arma só serve para machucar ou matar.
A cultura em torno de uma arma é a cultura de machucar ou matar.
Na chamada Deep Weeb, que alimentava os anseios psicopatas dos assassinos de Suzano, e de muitos outros mundo afora, como o mais recente na Nova Zelândia  se cultua a violência. A arma é cultuada como objeto de redenção social.
O uso da violência é aplaudido.
Assim, não se iludam com discursos fáceis, imprudentes e de quem está absurdamente contaminado com a cultura armamentista.
Uma arma é uma arma e ponto. É e sempre será símbolo de morte.
Sejamos como o Jesus que pregamos, sem armas.
E se vamos debater os reais motivos destes massacres iremos falar de *Individualismo Extremo *Culto à armas e à violência *Destruição da família (não de UM modelo de família, mas de qualquer modelo no sentido de apoiar e suportar os membros de um clã acima de qualquer outra questão) *Abandono dos filhos  *Sistema falso de meritocracia (inventa vencedores e despreza fracassados).

Se vamos discutir as soluções que comprovadamente funcionam iremos falar de:
* Cultura * Tolerância * Amor *Musica *Dança * Arte ...

Nunca ouvi a notícia de aluno de violino invadindo escola e atirando.
Nunca ouvi que grupo de dança de rua fez arrastão e promoveu roubos.
Nunca ouvi que alunos de culinária atacaram e mataram pessoas com cutelos.
No entanto, mesmo com provas reais de que a cultura e a arte combate e cura distúrbios mentais voltados à violência, a solução que vejo da boca de especialistas são de MAIS ARMAS!
Estamos em crise de humanidade.
A diferença de um soldado e de um maníaco armado é que apenas um deles gosta de estar armado, o outro só o faz por extrema necessidade.
Pense nisso

segunda-feira, 4 de março de 2019

Arte Gaviões e Corinthians



 Os artistas...Ah os artistas…
Vamos começar separando o Corinthians da Gaviões ok.
A Gaviões da Fiel merece todo o mérito por sua história mas, que se saiba que é uma torcida organizada do Corinthians e não O CORINTHIANS.
Não contrata jogadores, não decide campeonato, não fala por todos os torcedores do Corinthians e, principalmente, não representa o time do Corinthians em suas ações.
O Corinthians é um time que agrega MUITOS TORCEDORES e nem todos são da Gaviões.
Dito isto, quanto ao ocorrido neste carnaval, cabe ponderar.
É certo que estamos em um momento de extrema falta de bom senso.
Seja para lidar com temas delicados, seja para responder à expectativas de massa, seja para simplesmente praticar a empatia.
A arte sempre será um veículo transgressor, porém, o artista deveria ser um leitor social.
Um interpretador de momentos e um repositor do imaginário coletivo.
Essa falta de sensibilidade para ler e interpretar o próprio momento histórico em que se encontra, deságua em ações desastrosas nas quais nem a arte nem a sociedade ganham.
Hoje o artista confunde o impacto com a ofensa rasa.
O ofendido nunca entenderá a obra, nem se transformará com ela, pois, ali, não encontra arte, encontra apenas a ofensa.
Não adianta chamar o receptor de ignorante quando você próprio se confunde com a mensagem que pretendia passar.
Errou o tom do quadro, errou as cores, errou o discurso.
Como Nero, colocou fogo na cidade, criou o caos e justificou chamando de arte.
Os mortos de seu insano incêndio chamou de ignorantes, mas foi tu que não soube dizer e não eles que não souberam ouvir.
Não importa a santidade que querias invocar, ficou claro que eras menor que o tema que desejavas debater.
Se querias dizer outra coisa, não disses.
Se queria ofender com a arte, acabou ofendendo tão somente a arte.
Mas sempre haverá outro carnaval e outra oportunidade de fazer melhor.
Melhoremos

domingo, 6 de janeiro de 2019

Tradução completa:

CHINA está colocando islâmicos em Campos de Internamento e ninguém faz coisa alguma sobre isto.
Neste momento a China detém mais de um milhão de Uyghurs (*etinia da região de Xinjiang)  e outros Islâmicos Turcos em Campos de Concentração.

Eles são forçados à renunciar o Islam, adotar o ateísmo e prometer lealdade ao Estado Chinês.

Eles passariam horas a fio cantando em suas celas lotadas “Não existe esta coisa de religião” ou “Todos saúdam o Estado Chinês” ou  “Todos saúdam o Presidente Xi Jinping”.

E se algum detento desobedece, ou se algum deles tem algum tipo de resistência eles iniciam a tortura.

“ No final existem 800.000 e até um par de milhões de pessoas nestas instalações de detenção”

Unhas são puxadas, dentes são puxadas, eles usam cobras no interrogatório, pessoas estão sendo espancadas até a morte.
Eles estão sendo esterilizados, um método usado no genocídio. Eles são forçados no que chamam de “cadeira tigre”, onde são presos nesta cadeira por horas a fio muitas vezes em confinamento solitário.

Pessoas estão sendo enviadas para estes Campos de Concentração por razões aleatórias.
Um deles poderia facilmente ser você se estava em contato com um membro da família no exterior. Você se empenha na religião, então se você reza, se você menciona a palavra Deus no seu discurso, se você jejuar - qualquer tipo de indicação que você é praticante de religião, é suficiente para ser enviado para o Campo.
E milhares de pessoas estão atualmente sendo transferidas para estes Campos de Prisão.
Um dos meus parentes, no início de 2017, foi enviado para um desses Campos.
Fim de novembro ele saiu morto.
Um dos meus parentes foi enviado para  o Campo porque ele foi aos Estados Unidos para assistir ao casamento do meu primo em 2014.
No último agosto ele foi sentenciado a 15 anos de prisão.
Muitos dos meus parentes, nós não sabemos se estão vivos ou mortos.
E não há um único Uyghur que não tenha finalmente um membro da família nestes campos ou em alguma forma de prisão ou detenção.
A pior parte é quando alguns morrem, e os corpos não são entregues para suas famílias, mas em vez disso, os corpos são cremados, e esta é outra maneira da china ocultar a evidência de corpos saindo destes Campos.
Isto não nos dá uma clara ideia de quantas pessoas estão morrendo. Tudo está acontecendo em segredo.
Os filhos das pessoas detidas estão sendo enviadas para orfanatos estatais e internatos onde eles são ensinados a odiar sua própria religião, identidade e são forçados a falar chinês, são submetidos a abusos e torturas. Os parentes não sabem onde estas crianças estão.
Muitas cidades e vilas do Turkestan do Leste estão quase vazias.
Por volta de 70-80% dos civis desapareceram.
Você caminha pela rua e ela é estranhamente silenciosa, por conta que muitas pessoas estão de alguma forma detidas ou presas.
Escolas e fábricas estão agora sendo transformadas em Campos de Concentração.
A nação inteira do Turkestan do Leste está se tornado essenkcialmenteuma masmorra para estas pessoas porque a China monitora toda e qualquer ação mesmo dentro de casa.
Então são milhares de membros do Governo Han que estão vivendo em casas Uyghur para ter certeza de que não estão engajados na religião e para avaliar suas opiniões políticas.
A prática Islâmica está completamente banida. Então para eu dizer algumas coisas como “oh, eu te vejo amanhã se deus quiser”, é proibido porque você disse a palavra Deus.
Até se você tiver um nome Islâmico, é um crime. Então você precisa mudar seu nome como Muhammad ou Fátima para um nome da etnia Han.
Milhares de mulheres Uyghur estão sendo forçadas a se casar com homens da etnia Han Chinesa.
E isto não é outra coisa senão se livrar da próxima geração de Uyghurs.
Então porque a China está quebrando os Uyghurs e Turcos Islâmicos, especificamente?
O leste Turkestan é realmente rico em minerais e recursos então estão colocando pessoas nestes Campos e basicamente, executando-as numa limpeza étnica, China está tentando manter um controle rígido sobre a terra rica em minerais o rico mineral.
Você pode se perguntar porque o mundo está bem silencioso sobre esta questão,  e isto é por causa de vária razões.
Número um, China tem  controlado rigidamente a mídia, então muito do que está acontecendo não pode realmente ser revelado para o resto do mundo.
Número dois, mesmo quando as pessoas sabem sobre isto, elas são forçadas a permanecer em silêncio devido a pressão Chinesa e seus laços econômicos e estratégicos para seus países.
Então a questão é, o que você pode fazer?
O qe precisamos que você faça é aumentar a conscientização porque neste momento muitos pelo mundo não fazem ideia de que isto está acontecendo.
Pressione seus governantes para reconhecer que a ocupação Chinesa no Leste do Turkestan é uma sistemática campanha de limpeza étnica dos Uyghurs e outras pessoas do Leste do Turkestan.
Apoie sua comunidade local de Uyghurs (*refugiados), eles têm extrema necessidade do apoio internacional. Sair para seus protestos, organizar protestos em frente a embaixadas chinesas e corpos que podem realmente agir para desafiar a Limpeza Étnica da China contra os Uyghurs.


Tradução Helton Fesan



quinta-feira, 20 de setembro de 2018

DEIXEMOS DE SER COVARDES


Foi e é a força da mulher que está segurando este país.
Faça o discurso que quiser, mas, se não fosse o olhar feminino; as milhares de mães solteiras e casadas e as avós segurando e estruturando o lar, já estaríamos extintos.
Quem somos nós, homens, para reivindicar o posto de estruturador de lar?
Muitos que hoje defendem uma família em que o pai é o chefe e líder da casa, são filhos criados e educados por mães solteiras e avós.
Ou tiveram pais alcoólatras, ou tiveram pais sumidos, ou tiveram pais boêmios, ou tiveram pais violentos...
E os desajustados e bandidos que cresceram sem pai?
A culpa é do pai ausente e não da mãe ou da avó que lá ficou para dar conta de tudo sozinha.
Nós, homens, somos especialistas em roubar o mérito e o trabalho de mulheres.
Colocando o pé em cima da onça morta e pousando de grande caçador.
Muitos sequer sabem falar com os filhos, e passam de meros pagadores de contas para virtuosos criadores ou educadores...
ESSE PAÍS É MATRIARCAL!
Sou advogado e digo com absoluta certeza, quem deve pensão alimentícia nesse país é o homem.
Quem abandona a prole, é o homem.
Está na hora de deixar de ser covarde e se tornar uma exceção.
Comece admitindo o valor do trabalho e esforço das mulheres que te cercam.
As vezes precisamos ser duros com nossos amigos.
É preciso nos dirigir de forma sincera e firme e dizer que o que estão fazendo é feio, é errado.
As vezes é preciso se envergonhar ou envergonhar alguém para que se pense melhor.
Neste ano, darei todas as representatividades possíveis para mulheres, e não me calarei diante da covardia de roubar com violência o mérito de quem conquistou com trabalho.
#boraprapista

sexta-feira, 24 de agosto de 2018

PEQUENOS EMPRESÁRIOS NAS MÃOS DOS GRANDES

Falando de Pequeno empreendedor e aproveitando a onda do Partido Novo, aproveito pra dizer o que me incomoda e tratar de algo pouco divulgado por aqui, a Vulnerabilidade do Pequeno Empresário.
A visão de que o Mercado por si só vai resolver iniquidades sociais e que o Estado deva tão somente assistir é um equívoco que se mostra na prática diária de quem atua no setor jurídico.
Na prática, Estado Mínimo é Feudalismo Moderno.
Ainda não me convenci dessa teoria de Estado Mínimo, mesmo porque, como advogado da Constituição de 88, sou defensor do Estado Social.
O que vejo em meu dia a dia, é que empresas sem nenhum controle do estado tendem a colaborar para a miséria e para  o abismo social, não o contrário.

As grandes corporações são muitas vezes as responsáveis por acabar com a concorrência de micro e pequenas empresas.
Veja o que está acontecendo com os pequenos mercados de vilas. Sendo substituídos por pequenas franquias de multinacionais e gigantescas distribuidoras. Qual o sentido de uma empresa estrangeira distribuir TODO o alimento que plantamos e colhemos aqui?
Com o monopólio de pequenos cartéis eles manipulam os preços e expremem o pequeno produtor a uma situação de miséria. O litro de leite custa menos que a cerveja...
Outro exemplo são as montadoras de veículos. Sou ABCedense nato e sei que existe uma cadeia de produção de pequenas empresas que prestam serviços para as grandes montadoras.
Ocorre que as poucas e grandes montadoras usam os pequenos e médios para financiar sua produção. Na prática terceirizam a produção mas faturam o pagamento acima de 90 dias, com possibilidade de atrasos. O pequeno empresário vai ao banco para financiar a produção e recebe da montara com atraso. Acaba tendo que sonegar impostos e burlar direitos trabalhistas para arcar com os juros em uma ponta e com os atrasos de recebimento na outra.
No fim apenas enriquecem as montadoras e deixam um rastro de operários no eterno status quo de pobreza.
Terceiro exemplo na área da construção civil. Uma grande Construtora na forma de cartel assume a obra e terceiriza para pequenas empreiteiras que chamamos de "gatos".
Como são os detentores do contrato principal manipulam medições e achatam a lucratividade dos “gatos” a níveis absurdos que por sua vez repassam essa pressão para a mão de obra que é muito pouca instruída. Na prática a Construtora lucra milhões mas deixa um rastro de falência, sonegação e supressão de direitos trabalhistas para trás, usando os pequenos empresários como escudo.
E nem me estenderei em citar grandes bancas jurídicas que contratam correspondentes a preços aviltantes.
Todos estes exemplos não são suposições, são situações que vivi como advogado.
Chama-se Vulnerabilidade do Pequeno Empresário.
Daí a necessidade de regular e fiscalizar o mercado.
O problema é que hoje a corrupção se alia a estes mega grupos empresários para fazer vista grossa e lucrar junto.
Nem preciso comentar o modus operandi do Bancos.
Muita gente está confundindo fiscalização com intervenção.
Não sou a favor de intervenção do Estado e sim da fiscalização do mercado.
Liberais usam ternos como livre concorrência e oferta mas na verdade a imposição se resume em PODER DO CAPITAL.
É simples como o brinquedo de infância "jogo da vida". Quem acumula o capital manipula o jogo ao ponto dos demais só jogarem pegando emprestado o dinheiro do "dono do jogo".
Eu posso abrir um mercado mas serei oprimido pelo capital se não houver uma fiscalização contra cartéis que comprarão toda a produção de maneira fechada.
Conceitos de equidade existem para evitar trabalhos análogos à escravidão, ou seja, trabalhos que na verdade não são remunerados.
As leis trabalhistas realmente são abusivas por aqui, principalmente por conta de sindicatos que atuam como máfias. Mas isto também ocorre por existirem empresários que abusaram da produção com mão de obra barata ou mesmo gratuita.
Eu sou um liberal quando acredito no empreendedorismo e na força do mercado, mas não me iludo quanto as boas intenções desse mercado pois ele tende a ser selvagem.
Por isso não abro mão do Estado Social da Constituição de 1988.
E isto não se confunde em NADA com Socialismo.
Livre mercado a serviço do bem das pessoas, isto é o que ocorre nos países desenvolvidos.
Mas a implementação passa pela construção de um profundo sentimento de patriotismo e amor pelos irmãos compatriotas.
Quanto maior este sentimento, menor a necessidade de intervir.
Liberalismo pleno precisa de um senso de povo pleno. Uma alma nacionalista, o que ainda não temos.

segunda-feira, 13 de agosto de 2018

VOCÊ QUE ESCOLHE. (?)

Sentada na cozinha olhando o leite enquanto esquenta, escuta da mãe:
- Não tem nada o que pensar, você não sabe nada da vida ainda. Pensa que é fácil? Eu não vou criar seu filho, já criei você e dei de tudo pra não ter que passar por isso. Tanto que eu falei, tanto que eu avisei… Ainda bem que tem jeito, não tem necessidade de passar por isso, tira e pronto, tá resolvido.
- Mas eu não quero tirar.
- E você acha que tem querer? Se toca menina. Vai tirar e pronto.
O leite derrama. Sai, bate a porta, manda mensagem:
 - A gente pode se ver?
- Pode, que horas?
Se encontraram, mesmo lugar, mesmo rolê, mesmo quarto:
- Eu to grávida
Um longo silêncio.
- Sério isso?
- Sério…
- Mas e aí, já foi atrás de clínica? Já marcou pra tirar?
- Não vou tirar.
- Mas de quem é o filho?
- Você tá louco? É seu claro!
- Meu mesmo não. Se for meu você vai tirar.
- É seu e eu não vou tirar.
- Meu, aí já é pilantragem da sua parte.
- Porque pilantragem?
- Nunca te enganei, você sabe que eu tenho família.
- E daí?
- E daí o caralho, você tá tirando.
Empurra o ombro dela e se transforma. A voz antes macia, agora é entonada de forma incisiva, intimidadora. Se levanta, abre os ombros, cerra as mãos e o dedo aponta pra cara dela anunciando que vai botar ordem nessa porra. E continua o discurso:
- Você já sabia das condições do bagulho. Sabia que e eu já tenho mulher e filho. Então não vem dá uma de louca não. Você vai tirar essa merda.
- Mas eu quero ter meu filho.
- Vai ter com outro, vai ter sozinha, com quem você quiser. Mas eu não vou assumir esse B.O. Ela se cala, acuada. - Se liga, não tem necessidade nenhuma disso. Você sabe que é só marcar hora na clínica e no mesmo dia você tá em casa, não pega nada. Se for pra ajudar a pagar a clínica eu até concordo, mas você vir com esses papos pra cima de mim. Não esperava isso de você, tá sendo pilantra.
- Eu quero ir embora. - Ir embora não, vamos resolver essa parada já. A gente sai daqui e já agenda, se tiver horário já tira e pronto.
- Não é assim, precisa marcar fazer exames…
- Não tem nada disso não. Minha prima já fez uns três abortos e é rapidinho, não pega nada. Tem nada disso não. A gente sai e já passa lá.
Ela só balança a cabeça e começa a se trocar.
Vão em silêncio no caminho. Param no estacionamento e seguem até a recepção. Ele pergunta sobre procedimento de aborto. A moça dá a relação de exames e pergunta se é pra ela. Ele diz que sim. Pergunta se tem encaixe. Ela pergunta quantos anos a menina tem. Dezenove ele responde e diz que é urgente.
Se tiver com os documentos já interna.
- Você tá com os documentos aí?
- Tão aqui.
Entrega pra moça. Ela pergunta qual a forma de pagamento. Ele pergunta se faz no cartão. Faz, passa. Entrega o formulário, começa a preencher e olha pra foto da mulher sorridente em cima da recepção com os dizeres:
AGORA É LEI. SEU CORPO, SUAS REGRAS.