segunda-feira, 28 de agosto de 2017

Em Extinção

Quando somos pequenos a estranheza de ser o único é absurda. É o cúmulo do "não pertencencimento".
Eu fui um jovem Lobo-guará nessa situação.
Acho que o pior de viver assim é que na nossa cabeça  de lobo criança acreditamos realmente sermos uma espécie em extinção. Não temos a noção de que há outros (muitos) de nós.
Ser um ser em extinção é muito deprimente. As tartarugas marinhas, a baleia azul e até o último dinossauro que vagava sozinho na era glacial tem a minha mais profunda admiração e respeito. Eu sei o que vocês passaram e passam.
Mas enfim, cresci e a cada nova floresta ou savana um novo deserto particular se formava em meu peito e meu coração sozinho no meio.
Ao longe, na planície encontrava um igual a mim vagando sozinho ou em matilhas de outras espécies de Lobos europeus, tentando imitá-los, tentando enquadrar-se, tentando uivar igual, tentando caçar igual, tentando, tentando e tentando...
Mas Lobo-guarás são o que são e não adianta tentar ser o que não.
Eu ficava mais sozinho. Caçando o que podia e com medo de me arriscar nestas matilhas.
Acontecia uma coisa interessante e igualmente triste. Outras espécies que nem eram a minha, mas que por um motivo ou outro estavam também sozinhos, acabavam se juntando ocasionalmente a mim. Um lobo de perna quebrada, uma tartaruga órfã, um pardal sem uma asa... Não era exatamente uma matilha mas era um grupo, melhor que ser sozinho. Pra caçar era uma desgraça, pra se proteger pior ainda, mas por algum motivo era bom ficar junto... Talvez por entender que solidão mata.
Mas todo bicho cresce e eu também cresci.
Caçar sozinho se tornou um hábito e um lema. Evitar as matilhas ou se misturar a elas se tornou estratégia.
Os bichos solitários se adaptam.
Mas desde que Noé nos separou de par em par nos encontramos macho e femea, e eu, também me encontrei.
Uma Loba solitária me achou e comigo fez um lobinho.
Poxa que emocionante, enfim uma matilha com focinhos iguais ao meu.
Mas o filhote está na idade de aprender a caçar e nem tudo posso ensiná-lo, afinal, caçamos sozinhos.
As vezes, olhando ele perambulando solitário no serrado, ou olhando distante a matilha de lobos europeus caçar me pergunto: Não seria melhor se nós Lobo-guarás também formassemos matilhas?